Vinho de Naufrágio de 300 Anos Colocado à Venda

Vinho de Naufrágio
Fonte: Christie's

Em 2010, uma equipe de mergulhadores “brindou” uma descoberta em alto mar com uma safra rara. Sua descoberta? O mesmo vinho que estavam prestes a beber; garrafas de 350 anos que haviam resgatado de um  naufrágio histórico ao largo da costa de Hamburgo, na Alemanha.

Enquanto o navio se deteriorava além do ponto de reconhecimento, 14 garrafas com lacre vermelho excepcionalmente bem envelhecido; embaladas carinhosamente em uma cesta de vime; sobreviveram ao mergulho de 30 metros e estavam repousados no fundo do mar durante séculos. Agora, duas das garrafas estão em leilão pela Christie’s de Londres; e a casa de leilões estima que elas vão custar entre US $ 32.942,00 e US $ 38.010,00.

Era de Fato Um Vinho Tinto Forte

Depois que os salvadores resgataram o vinho de naufrágio, os cientistas começaram a trabalhar interpretando o conteúdo das garrafas. O professor Régis Gougeon, do Instituto Universitário da Vinha e do Vinho da Universidade de Borgonha , usou a presença do resveratrol; uma substância que vem da casca da uva e da degradação dos taninos para determinar que a bebida era de fato um vinho tinto forte.

A julgar pela sua localização e idade, possivelmente foi um Bordeaux, embora não possamos saber ao certo, diz Charles Foley; especialista em vinhos da Christie’s em Londres. Uma inspeção da garrafa e da rolha sugeriu que este vinho de naufrágio foi engarrafado entre 1670 e 1690.

Vinho de Naufrágio Estão Entre os Mais Antigos

Essa idade avançada faz com que essas duas garrafas sejam as mais antigas já oferecidas para venda pela Christie’s, embora ainda estejam longe das mais antigas garrafas de vinho encontradas do mundo. Essa honra vai para a garrafa de vinho Speyer, um jarro de vinho que, antes de ser desenterrado na Alemanha contemporânea; estava em um túmulo romano por mais de 1500 anos.

O vinho Speyer provavelmente ainda é seguro para beber, embora os cientistas digam que provavelmente não seria bom. Mais potável, embora ainda bastante envelhecida; são os vinhos Thomas Jefferson vendidos pela Christie’s em 1985. Embora eles possam não ter realmente pertencido ao presidente, que era um notório esnobe de vinho; a ex-autoridade de Christie e Certified Master of Wine Michael Broadbent garrafa e apelidado de “perfeito em todos os sentidos.”

Beber Este Vinho é Questionável

Se você se sentir tentado a fazer esse teste de sabor com vinho de naufrágio, a Christie’s adverte informa que sua “capacidade de beber é questionável”. “É oferecido mais como uma antiguidade”, diz Foley. Se você está interessado em experimentar um vinho submarino, mas falta a bravura (ou orçamento) para uma safra de três séculos de idade; existem vários vinhedos contemporâneos envelhecendo seus vinhos no oceano, sem ser de naufrágio.

Foley diz que um fabricante baixa o vinho branco em gaiolas para o fundo do Mar Báltico. Na verdade, vinho envelhecido debaixo d’água é francamente comum. Ainda assim, nenhuma dessas garrafas pode se gabar de ter uma história de origem tão dramática; ou de ter um período subaquático quanto os produtos da Christie.

Embora a aquisição das garrafas possa não exigir qualquer invasão de túmulos; o vinho naufragado com 300 anos de idade será certamente a bebida mais foda do seu armário de bebidas.

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*