Nova Geração de Foguetes da SpaceX Promete

Foguetes da SpaceX

Nesta última terça-feira (dia 25) houve o terceiro lançamento do foguete Falcon Heavy, que possui três estágios de propulsão; e seu lançamento foi quase um sucesso completo, pois apenas um dos estágios não conseguiu “pousar” no navio robô como era planejado. A empresa está planejando o próximo lançamento para julho e irá utilizar um foguete Falcon 9. Não foi informado, por enquanto; a data deste próximo lançamento da Falcon Heavy.

Os Foguetes da SpaceX

Os foguetes da SpaceX é inovador em vários aspectos, em primeiro lugar é um grande projeto de iniciativa privada; em segundo lugar seus estágios são todos reaproveitáveis; retornado à terra através de retrofoguetes; o que nunca havia sido feito antes. O mais próximo disso foram os foguetes de combustível sólido dos ônibus espaciais (que estão fora de linha) e que caiam de para-quedas.

Os foguetes da SpaceX são projetados para que todos os três estágios sejam capazes de voltar e pousar verticalmente no chão; para serem reutilizados mais tarde. Os reforços laterais que voaram nesta missão foram recuperados da missão Arabsat-6A realizada em abril; então podemos entender que esta última missão foi feita de aproximadamente dois terços de material reciclado.

Sua Missão

Embora o sucesso da missão ajude a Falcon Heavy a se certificar formalmente de entregar cargas de segurança nacional para agências dos EUA; a verdadeira empolgação está centrada no que o foguete está levando para o espaço desta vez. A Falcon Heavy será encarregada de realizar a missão Space Test Program 2 (STP-2) do Departamento de Defesa dos EUA, que fornecerá alguns dos instrumentos e experimentos espaciais mais dinâmicos já lançados em órbita. As 24 cargas úteis indo para o espaço, destinadas a testar algumas das tecnologias emergentes mais exclusivas e;  algumas das investigações de pesquisa mais recentes que estão sendo desenvolvidas pela comunidade científica.

A Carga Mais Importante

Talvez a carga mais importante seja o LightSail 2, o protótipo da tecnologia de vela solar da Planetary Society para propulsão no espaço. O conceito por trás de uma vela solar é usar a luz do sol como fonte de propulsão de uma espaçonave através do espaço; eliminando a necessidade de um propelente químico finito. LightSail 2 é feito de Mylar ultrafino projetado de tal forma que quando os fótons (partículas que compõe a luz) atingem o material; eles exercem uma pressão de radiação que produz uma pequena força aceleradora; impulsionando a vela para a frente. É pequena, mas com o tempo, e como o “atrito” no espaço é mínimo; essa força se acumula cada vez mais e, teoricamente, pode atingir uma velocidade que ultrapassa nossas melhores tecnologias de propelentes químicos.

A vela, que tem cerca de 105 metros quadrados e é composta por quatro velas triangulares individuais; é dobrada em cubos de 4,5 quilos, do tamanho de um pedaço de pão. Alguns dias após a missão liberar o cubesat em órbita; a vela solar irá se desdobrar até atingir sua posição total. Toda a vela é equipada com uma série de células solares; aviônicos e outros sensores para ajudar a equipe de missão a navegar e controlar a orientação da espaçonave.

Canhão Railgun – A Marinha Está Desenvolvendo seu Canhão do Futuro

Outras Cargas

A equipe girará a vela em direção ao sol, por cerca de um mês; continuará acelerando e será potencialmente visível no céu noturno por aproximadamente um ano. Outras cargas úteis no STP-2 incluem um novo Deep Space Atomic Clock construído e operado pelo Laboratório de Propulsão a Jato da NASA; a sonda DSX da Força Aérea encarregada de fazer medições experimentais de clima espacial; uma série de satélites meteorológicos e climatológicos operados em conjunto pelos EUA e Taiwan, e uma nova espaçonave de reconhecimento e vigilância.

Enquanto não for desenvolvido novas tecnologias de propulsão ou espaçonaves, estes projetos de foguetes da SpaceX, como dito antes, promete; pois além das qualidades citadas; é mais prático e principalmente mais barato e avançado no quesito materiais e tecnologias do que os foguetes anteriores utilizados até hoje.

boosters

substantivo: intensificador, dínamo de reforço

1 Trackback / Pingback

  1. Ex-estagiário da NASA Pode Ganhar Milhões Com Filme do Pouso na Lua

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*