10 Lugares Que Existem e São Realmente Muito Estranhos

Existem lugares no mundo muito estranhos que parecem serem de outro mundo. Estes lugares possuem características peculiares que os tornaram tão especiais. Abaixo selecionamos 10 lugares especiais produzidos pela natureza que merecem nossa observação e admiração.

 Muito Estranhos

1. As Rochas Sonoras da Pensilvânia

Espalhados por sete a oito acres, as rochas da Pensilvânia produzem um som distinto como um “clang” metálico quando atingidos por um martelo ou outro pedaço de rocha. Os nativos americanos conhecem as rochas há séculos e transmitiram seus conhecimentos aos primeiros colonizadores brancos em meados do século XVIII.

O som produzido pelas rochas é tão inesperado que você pode se perguntar se eles são realmente feitos de pedra. Eles realmente soam ocos e metálicos. Estes fenômenos muito estranhos tem confundido cientistas e geólogos por anos. Vários experimentos foram conduzidos nas rochas de toque, mas a razão exata para o som incomum permanece desconhecida.

Tons de Baixa Frequência

Richard Faas, um geólogo da Pensilvânia, testou algumas das rochas em seu laboratório em 1965. Ele descobriu que, quando atingidas, cada rocha produzia tons de baixa frequência que não são audíveis para o ouvido humano. Os tons de várias rochas interagem entre si e é o som coletivo que ouvimos.

Richard foi capaz de determinar a natureza do som, mas ele ainda não conseguia explicar por que essas rochas eram tão especiais. Eles são feitos de uma substância vulcânica chamada diabásio; consistindo de ferro e outros minerais duros como todas as pedras. Mas algo sobre a composição os torna diferentes. Alguns cientistas acreditam que o estresse dentro das rochas é responsável pelo toque.

Muito Estranhos

2. As Chaminés de Fada na Capadócia

As formações rochosas que fizeram da Capadócia um dos destinos mais populares da Turquia surgiram devido a um processo geológico que começou há milhões de anos. Erupções vulcânicas antigas cobriam a região com cinzas espessas, que mais tarde se solidificaram em uma rocha macia chamada “tufo”. Quando as forças naturais do vento e da água (erosão) fizeram seu trabalho, apenas os elementos mais duros foram deixados para trás para formar as “chaminés de fada” que podem ser vistas hoje, chegando a mais de 40 metros de altura.

No entanto, também foi a engenhosidade humana que deu à Capadócia a sua estética mágica. Durante o período romano, cristãos perseguidos fugiram para a Capadócia (mais especificamente a cidade de Göreme); e logo chegaram à conclusão de que o tufo era um material útil e maleável. Os habitantes começaram a construir uma rede de cavernas artesanais, alojamentos, igrejas, estábulos e armazéns; todos escavados na rocha macia. Hoje, ainda há sinais óbvios de vidas passadas dentro da rede em forma de favo de mel de rocha. Os estábulos com alças usadas para prender animais, paredes com buracos destinados à circulação de ar e paredes enegrecidas que antes eram as cozinhas.

Outrora um Refúgio, Hoje Destino Turístico

As igrejas de Göreme também merecem uma menção por causa dos belos afrescos que sobreviveram à passagem do tempo. Um dos melhores exemplos é a Igreja das Trevas em Göreme, um complexo monástico construído no século 11; cujas paredes são cobertas com cenas coloridas e intrincadas do Novo Testamento e incrivelmente bem preservadas.

Outrora um refúgio, as inspiradoras rochas esculpidas da Capadócia são agora um destino turístico onde os passeios de balão de ar quente permitem aos visitantes contemplar este Patrimônio Mundial da UNESCO. Algumas das habitações nas cavernas também foram convertidas em hotéis boutique, onde os quartos-caverna oferecem conforto com lareiras aconchegantes e vistas deslumbrantes.

Muito Estranhos

3. A Rocha Al Naslaa Está Dividida ao Meio Com Precisão

Você provavelmente viu muitas formações rochosas na internet. A formação Rock Al Naslaa pode confundir você como se fosse duas pedras em pé com faces planas e completamente em forma natural. Uma fenda perfeita entre rochas parece um trabalho de máquina, mas é natural. Al Naslaa Rock está localizado no oásis de Tayma, na Arábia Saudita. O arqueólogo acredita que Tayma foi habitada desde os tempos antigos.

“A pedra em pé de Al-Naslaa é verdadeiramente um grande mistério”. 

Duas pedras divididas ao meio criaram confusão entre especialistas desde sua descoberta. Al Naslaa Rock é o mais fotogênico dos petróglifos de Tayma, a cerca de oito horas de carro de Riyadh. O arqueólogo não sabe como a formação rochosa continua equilibrada aqui? Como a rocha está dividida ao meio? As fascinantes pedras megalíticas foram divididas ao meio com a aparência de precisão a LASER.

Algumas Teorias

Isto poderia ter acontecido devido ao dique vulcânico de algum mineral mais fraco que se solidificou antes que tudo fosse exumado. Ou pode ser uma rachadura de pressão antiga que você vê uma rachadura paralela à direita dela que teve um movimento de empurrada / puxada.

Muitas lendas dizem que é um dos maiores mistérios encontrados pelo homem. A incrível estrutura antiga de pedra atrai milhares de turistas a cada ano que vêm para Al-Naslaa. E observe sua perfeição e equilíbrio; que deu origem a inúmeras teorias que tentam explicar sua origem.

Muito Estranhos

4. Cavernas de Mármore do Chile

A Mãe Natureza supera-se com este incrivelmente e belo conjunto de cavernas esculpidas em mármore. Um dos tesouros naturais mais isolados do mundo; as Cavernas de Mármore (Capillas de Mármol) são uma série de cavernas esculpidas no Lago General Carrera, no coração da Patagônia no Chile. A Catedral, a Capela e a Caverna são as três formações que compõem este espetáculo natural que certamente lhe deixará sem fôlego.

Mantenha os olhos bem abertos para admirar as colunas pretas e brancas refletidas nas águas azuis. Um verdadeiro sonho para os amantes da fotografia. Formados por mais de 6.000 anos através das ondas do mar com carbonato de cálcio; os suaves azuis das paredes da caverna refletem as águas azuis do lago, que mudam de intensidade e tonalidade; dependendo do nível da água e da época do ano.

Localizado longe de qualquer estrada, as cavernas são acessíveis apenas por barco. Trinta minutos de passeios são operados por uma empresa local; o tempo e as condições da água permitem. A melhor época do ano para visitar as cavernas de mármore é aproximadamente entre setembro e fevereiro; quando o gelo derrete alimentando o lago e a cor da água é particularmente turquesa encantadora. Em termos de horas, a melhor hora para fazer um passeio de barco é de manhã cedo para obter a iluminação certa para tirar ótimas fotos.

Muito Estranhos

5. A Pedra Suspensa da Noruega

Kjeragbolten está localizado no sul da Noruega. A cidade mais próxima é Lysebotn, a apenas 15 minutos de carro. De Oslo, você pode voar para Stavanger e, em seguida, dirigir até o início da caminhada Kjeragbolten. De Oslo, você também pode dirigir até Lysebotn, uma viagem de 500 km que leva 7 horas e meia.

Existe um parque de estacionamento, casas de banho e um restaurante. Para encontrar o início da caminhada, coloque “Kjerag parking” nos mapas do Google.

Melhor Época Para Fazer a Caminhada Kjeragbolten

A caminhada deve ser tentada apenas durante os meses de verão, entre 1 de junho e 30 de setembro. Durante os meses de inverno a estrada é fechada devido à neve e a caminhada pode ser perigosa. A neve pode cobrir as estradas e as trilhas até o final de maio.

Quanto Tempo Leva?

A distância da caminhada Kjeragbolten é de 12 km com 570 metros de subida. Aguarde 6 a 8 horas para fazer toda a viagem, ida e volta. Se você é um caminhante rápido, é possível bater essa estimativa de tempo de 6 horas.

Muito Estranhos

6. Uyuni as Maiores Salinas do Mundo

O Salar de Uyuni é uma das peculiares maravilhas do mundo natural. São as maiores salinas do mundo, estendendo-se por uma área de 10.582 quilômetros quadrados e situada a uma altitude de 3.656 metros; nos departamentos de Potosí e Oruro, no sudoeste da Bolívia. Rodeado pelas montanhas cobertas de neve dos Andes, é uma região remota com uma paisagem notavelmente cênica. Há pouco a fazer no Salar de Uyuni, mas há muito para ver e experimentar.

Salar de Uyuni

O nome espanhol se traduz em “as salinas de Uyuni”. As salinas recebem seu nome da cidade de Uyuni, pouco povoada, localizada a cerca de 25 quilômetros deles.

Estima-se que existam 11 bilhões de toneladas e, como a luz do sol garante uma produção contínua, a região provavelmente não se esgotará em breve. A fábrica de processamento de sal em Colchani, uma pequena vila a 20 quilômetros de Uyuni, refina mais de 25.000 toneladas de sal anualmente e as exporta para toda a Bolívia e para o Brasil.

Além do sal, o Salar de Uyuni possui ricos depósitos de lítio. Eles respondem por quase 70% dos depósitos de lítio do mundo e podem significar uma enorme fortuna para a Bolívia; mas a perspectiva não é empolgante para todos. Há uma controvérsia violenta na região sobre como extrair o lítio em grandes quantidades poderia impactar negativamente as salinas e o meio ambiente.

Formação do Salar de Uyuni

As planícies brancas e salgadas do Salar de Uyuni surgiram depois que o gigantesco Lago Minchin secou e desapareceu há mais de 40.000 anos. Vários pequenos lagos pré-históricos o substituíram e evaporaram também, deixando para trás estratos salgados.

Em qualquer caso, as salinas são tão extensas que aparentemente são visíveis do espaço e a NASA as utiliza para a posição de satélite. A NASA também realiza experimentos para suas missões a Marte no vulcão Lincancabur, nas proximidades. A atmosfera aqui, de acordo com a NASA, é como o que Marte poderia ter tido bilhões de anos atrás.

Durante a estação chuvosa, de dezembro a abril, a água da chuva inunda as salinas e as transforma em um gigantesco espelho que reflete os arredores e o céu. É um espetáculo incrível e outro fator de atração para os turistas. Para evitar ficar atolado na lama resultante, porém, os visitantes podem acessar com segurança apenas algumas áreas das salinas durante este período. Na estação seca, de maio a novembro, as pessoas podem caminhar pela totalidade dos apartamentos.

Muito Estranhos

7. A Calçada dos Gigantes

Calçada dos Gigantes encontra-se ao longo da costa do mar, na borda do planalto Antrim na Irlanda do Norte. É composto de cerca de 40.000 colunas maciças de basalto negro próximo ao mar. A visão dramática inspirou lendas de gigantes caminhando sobre o mar para a Escócia. Os estudos geológicos dessas formações nos últimos 300 anos contribuíram muito para o desenvolvimento das ciências da terra e mostram que essa paisagem impressionante foi causada pela atividade vulcânica durante o terciário, há cerca de 50 a 60 milhões de anos.

Esta Calçada dos Gigantes é uma área espetacular e possui importância geológica global. O traço mais característico e único do local é a exposição de cerca de 40.000 colunas poligonais de basalto de formato regular em seções horizontais perfeitas; formando um pavimento. Esta paisagem única; tem sido uma atração para visitantes há pelo menos 300 anos e passou a ser considerado um símbolo para a Irlanda do Norte.

A maior parte deste sítio de 70 hectares está em posse e gestão do National Trust. O acesso à costa é feito por um sistema de trilhas que permite aos visitantes a oportunidade de ver a paisagem costeira a partir dos topos das falésias e também examinar as características geológicas a curta distância.

Muito Estranhos

8. Fly Geyser de Nevada

Uma combinação de erro humano e pressão geotérmica natural criou essa maravilha geológica da cor do arco-íris. Existem dois geysers na propriedade Fly Ranch. O primeiro foi criado há quase 100 anos como parte de um esforço para tornar uma parte do deserto utilizável para a agricultura. Um poço foi perfurado e água fervente geotérmica (200 graus) foi atingida. Obviamente não é adequado para a água de irrigação; este gêiser foi deixado sozinho e um cone carbonato de cálcio de 10 a 12 pés formado.

Em 1964, uma empresa de energia geotérmica perfurou um poço de teste no mesmo local. A água que atingiram foi a mesma de 200 graus. Quente, mas não quente o suficiente para seus propósitos. O poço foi supostamente re-selado, mas aparentemente, não se sustentou. O novo gêiser, a poucas centenas de metros ao norte do original, roubou a primeira de sua pressão de água e o cone agora está seco.

Algas Termofílicas São Responsáveis Pelo Acabamento

Este segundo gêiser, conhecido como Fly Geyser, cresceu substancialmente nos últimos 40 anos como minerais do depósito geotérmico de água na superfície do deserto. Como existem vários bicos de géiser, esse gêiser não criou um cone tão grande quanto o primeiro; mas sim um montículo de aparência alienígena em constante crescimento. O gêiser é coberto por algas termofílicas, que florescem em ambientes úmidos e quentes, resultando em múltiplos matizes de verde e vermelho que contribuem para sua aparência de outro mundo.

Muito Estranhos

9. As Cavernas de Cristal de Naica – Muito Estranhos

Descobertas por dois garimpeiros à procura de chumbo, essas incríveis cavernas revestidas de cristal poderiam ser confundidas com o etéreo covil do Super-homem, o Ártico. Esses deslumbrantes vigas brancas de gesso cresceram a um passo de caracol por centenas de milhares de anos em cavernas na Naica, no México.

Dez anos após a surpreendente descoberta, os cientistas estão pedindo ao governo mexicano para reivindicar o status de Patrimônio Mundial da Unesco para proteger as formações únicas para as gerações futuras. “Elas são realmente uma das maravilhas do mundo”, disse Juanma Garcia Ruiz, geólogo do Instituto Andaluz de Las Ciências da Terra, que estudou na mina.

Medem Até 11 Metros

Alguns destes cristais, chegam a medir até 11 metros. Crescendo lentamente ao longo do tempo, ainda não está claro por que as formações enchem as cavernas em ângulos tão aleatórios. As enormes minas de Naica foram escavadas durante anos, mas em 1975 uma enorme área foi drenada para que as operações de mineração pudessem ocorrer.

Quando a água desapareceu, os cristais pararam de crescer, no entanto, passaram-se mais de 25 anos até que dois mineiros se depararam com as vastas cavernas de cristal e descobriram a incrível coleção de gipsita. A formação das vigas a 290 metros abaixo da superfície ocorreu quando a água superaquecida começou a esfriar e ficou saturada de gesso.

Os Cristais se Formaram na Água

Um dos principais problemas ainda enfrentados pelos cientistas que desejam estudar abaixo do solo em Naica é o calor. Uma fonte termal localizada perto das cavernas de cristal significa que a temperatura é muito quente para as pessoas permanecerem na câmara de cristal por mais de dez minutos a uma hora.

Logo, o professor Garcia Ruiz está planejando voltar para Naica e continuar seus estudos, no entanto, ele está pedindo mais para ser feito para garantir que os cristais recebam o devido cuidado que merecem. “Os cristais precisam ser melhor preservados”, diz o professor.

Muito Estranhos

10. Monte Roraima

Descrita como uma ilha no céu, uma das formações rochosas mais místicas e antigas do mundo; o Monte Roraima está localizado na fronteira do Brasil, Venezuela e Guiana. Esta gigantesca montanha de topo plano aparece como se tivesse sido esculpida a partir de uma formação rochosa única e monolítica; com paredes verticais e superfícies lisas. Roraima é uma das poucas montanhas de mesa do mundo. Montanhas de mesa existem apenas na América do Sul nas terras altas da Guiana.

Esta montanha é uma das formações rochosas naturais mais singulares da Terra; não só pela sua forma mas também pela sua origem. Acredita-se que os tepuis sejam os restos de um grande planalto de arenito que antes ficava entre a fronteira norte da bacia amazônica e o Orinoco; entre a costa atlântica e o rio Negro. Os tepuis foram formados como resultado de mudanças na superfície da Terra. Muito provavelmente, eles foram formados quando os continentes se separaram há vários bilhões de anos e a América do Sul foi separada da África Ocidental.

“A Caverna de Olhos de Cristal”

Por muito tempo os cientistas acreditavam que não há cavernas em Roraima, no entanto, em 2003, um dos maiores sistemas de cavernas de quartzo do mundo foi descoberto aqui. É chamado Cueva Ojos de Cristal, que traduzido do espanhol significa “a caverna de olhos de cristal.” O sistema está localizado no lado venezuelano da montanha no Parque Nacional Canaima. Ela se estende por quase 11 quilômetros de comprimento e desce até uma profundidade de 72 metros abaixo da superfície de Roraima.

O ponto mais alto de Roraima possui 2810 metros de altura, enquanto a proeminência limpa é de 2338 metros. O planalto no cume de Roraima tem uma área de cerca de 30 quilômetros quadrados. O Monte Roraima e seu cume são de fato um mundo perdido e completamente isolado, onde o tempo não mudou muito durante os últimos milhões de anos.

O vídeo abaixo mostra um resumo e belas imagens sobre estes 10 lugares surpreendentes:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*