A Esquerda Acusa Ministro de Sensacionalismo e o Deputado Filipe Barros Chama Universitários Esquerdistas de Maconheiros

Chama Universitários Esquerdistas de Maconheiros

O ministro da educação Abraham Weintraub,  acusado pela oposição de sensacionalista e por falta de projetos; em resposta o ministro disse que está promovendo uma revolução na área de ensino.

Durante o debate na Câmara dos Deputados, nesta quarta-feira (11); o ministro da Educação, Abraham Weintraub, reafirmou que existem plantações de maconha nas universidades e o que é mais grave, laboratórios de química destas instituições estão sendo usados para a produção de drogas sintéticas.

O vídeo abaixo mostra o depoimento do deputado Filipe Barros sobre o problema das drogas nas universidades, onde ele chama alguns chama universitários esquerdistas de maconheiros.

 

Plantação de Maconha

A Comissão de Educação convocou o ministro para se esclarecer sobre suas declarações dada à imprensa. Durante a reunião houve muitas trocas de acusações desde o início; quando o ministro exibiu uma matéria jornalística que mostrava plantação de maconha dentro do campus da Universidade de Brasília (UnB).

O vídeo deixou indignado deputados como Marcelo Freixo (Psol-RJ), onde ele afirmou: “Se a pauta vai ser exclusivamente esta, diante de tudo que está se passando em relação à crise nas universidades, à falta de investimento, isso é um desrespeito profundo à educação, e vou me retirar. É um insulto aos educadores, não dá”.

Em resposta, o ministro da educação afirmou que foi convocado para falar exatamente sobre este tema. “adoraria ter sido convidado para falar sobre a revolução no ensino”, afirmou o ministro. Também falou sobre o programa de incentivo à leitura do MEC e “o melhor Enem de todos os tempos”.

Veja também:

 

Mais Segurança nas Universidades

Segundo o ministro, também mostrou reportagens sobre a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), onde são produzidas drogas sintéticas em laboratórios de química; além de apreensão de maconha e haxixe.

Weintraub disse que não são casos isolados e sim uma “epidemia” de diversas drogas nas universidades; para resolver problemas como estes, defendeu a entrada da PM (Polícia Militar) nas instituições. “Sou a favor da autonomia universitária para o ensino, pode ensinar Karl Marx se quiser. Agora, a PM tem que entrar nos campi.”, disse o ministro.

Alencar Santana Braga contradiz e segundo ele, o problema das drogas não deve ser tratado pelo ministro da Educação. “É seu papel como gestor da educação apurar, cobrar, inibir, impedir. Ao não fazer isso e tratar esse assunto como fofoca e meme, o senhor está praticando prevaricação, o que é inaceitável para o servidor público”, afirmou Alencar.

“Aparelhadas Pela Esquerda”

Alguns deputados como Bacelar e Rosa Neide aproveitaram a deixa para relembrar a apreensão de 39 quilos de cocaína no avião que escoltava o avião presidencial. O ministro afirmou que defende “os valores da família e da classe média” nas universidades; e que as federais são “aparelhadas pela esquerda”, que “manipula” e “doutrina” as mentes dos jovens.

A a deputada Tabata Amaral (PDT-SP) que é Coordenadora da comissão externa na Câmara para acompanhar os trabalhos do MEC; cobrou do ministro um plano de correção de rota. “Gaste seu tempo não olhando para o problema que seria de outros ministérios, mas, por exemplo, fazendo com que o Fundeb seja renovado”, disse a coordenadora.

Como resposta o ministro disse: “Não quero a sua recomendação pessoal”. Também afirmou que o governo vai enviar proposta ao Congresso para resolver o problema do Fundeb. Já faz quatro anos que a câmara discute uma proposta para tornar o Fundeb permanente (PEC 15/15).

1 Trackback / Pingback

  1. Grupo Integralista Que Atacou Sede do Porta dos Fundos Reivindica Atentado

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*